Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/02/20 às 14h44 - Atualizado em 10/02/20 às 14h47

Absenteísmo dos servidores sofre forte redução no segundo quadrimestre de 2019

COMPARTILHAR

Custo da redução do absenteísmo no GDF foi reduzido em R$ 22 milhões como resultado do aperfeiçoamento de programas e ações de prevenção

 

A quantidade de dias de afastamentos do trabalho dos servidores concursados do Governo do Distrito Federal (GDF) registrou forte queda no segundo quadrimestre de 2019, em relação ao mesmo período de 2018. O Boletim Epidemiológico produzido pela Subsecretaria de Segurança e Saúde no Trabalho (SubSaúde), da Secretaria de Economia (SEEC), aponta uma redução de 59.628 dias de afastamentos. Esse número multiplicado pelo valor do dia de trabalho de cada servidor dá um montante de R$ 21.928.021,01 – o que corresponde à redução do custo do absenteísmo entre maio e agosto de 2019.

 

A subsecretária da Secretaria de Economia, Ana Paula Delgado, esclarece que as reduções são fruto do aumento de programas e ações de prevenção e da maior eficiência na homologação dos atestados. “Diminuímos para 48 horas o tempo de agendamento das perícias. Antes, os servidores chegavam a levar até um mês para marcar uma perícia. Com essa agilidade, podemos averiguar a real necessidade da prorrogação ou não de uma licença ainda dentro do prazo de sua validade, o que não acontecia antes”, explica.

 

Além disso, a subsecretária informa que a Secretaria de Economia tem dado especial atenção à questão da saúde mental, por ser o tipo de enfermidade que mais acomete os servidores. “Desenvolvemos um programa de atendimento multidisciplinar com psicólogos, psiquiatras e outros profissionais de saúde, que realizou mais de 10 mil atendimentos no ano passado. Estamos massificando as ações de promoção e prevenção na questão da saúde mental”, reforça.

 

No período analisado, eventos de transtornos mentais e comportamentais registraram queda na Secretaria de Educação, de 28,89% em 2018 para 27,02% em 2019; na Secretaria de Saúde, de 19,56% para 19% em 2019; e nos demais órgãos atendidos pela SubSaúde, de 21,33% para 17,32%.

 

Em relação ao total de licenças apresentadas no segundo quadrimestre de 2019, 48% delas são de servidores da Secretaria de Saúde, 39% da Educação e 13% das demais secretarias. O estudo não inclui servidores requisitados, cedidos, comissionados, policiais militares, bombeiros e nem policiais civis.

 

Nas Secretarias de Educação (SEE) e Saúde (SES) a frequência das licenças médicas – o comparecimento para homologação dos atestados – aumentou, mas a gravidade dos afastamentos diminuiu.

 

Na Educação, a frequência aumentou de 10.470 para 11.919, mas o número de dias de afastamentos diminuiu em 25.823 dias. Na Saúde a frequência aumentou de 13.980 para 14.582, mas o número de dias de afastamentos diminuiu em 32.530 dias.

 

O principal objetivo do Boletim Epidemiológico é monitorar as informações sobre a saúde do servidor público do DF e possibilitar o planejamento de intervenções em saúde e segurança do trabalho.

 

O boletim completo de 2019 estará disponível a partir de abril. De acordo com a SubSaúde, existem prazos para interposição de recursos que ainda estão em andamento e o Boletim só pode ser consolidado após a conclusão desses prazos.